Blog do João Renato

Topo
Blog do João Renato

Blog do João Renato

Categorias

Histórico

Onde comer um bom brunch em BH

João Renato

08/01/2019 21h12

Ao contrário de São Paulo, onde o café da manhã na padaria é praticamente uma instituição, os belo-horizontinos não têm o hábito de começar o dia com uma refeição na rua. Mas um costume de jeitão norte-americano vem mudando isso. Mistura de café da manhã (breakfast) e almoço (lunch), o brunch caiu no gosto dos mineiros nos últimos tempos e tem feito sucesso com a turma que prefere dormir até mais tarde no fim de semana, mas não abre mão de comer bem logo ao acordar. Confira abaixo quatro lugares que oferecem boas opções de brunch na capital mineira.

Astoria

Sausage n' eggs: tostadas de brioche, ovos fritos, salsichas frankfurter e molho de mostarda dijon (foto: Divulgação)


O nome da casa remete a um bairro de Nova York, famoso por receber imigrantes brasileiros. Por lá, o brunch é servido apenas aos domingos, a partir de meio-dia. Entre as opções está a avocado toast (R$ 21), torrada de abacate com tomate, ovos pochê e pimenta calabresa. Clássico dos EUA, o eggs benedict (R$ 26) consiste em um par de muffins levemente torrados, com tiras de bacon, ovos pochê e molho hollandaise. Já o sausage n' eggs (R$ 23) leva tostadas de brioche, ovos fritos, salsichas Frankfurter, e molho de mostarda dijon.

Vai lá
Rua Leopoldina, 85, Santo Antônio
(31) 99830-0085

Doce Que Seja Doce

Doce Que Seja Doce: opções, como tortas, pães e bolos ficam em uma mesa (Foto: divulgação)


Responsável por um dos doces mais incríveis da cidade, a torta matilda, a confeitaria também oferece o brunch em um esquema de bufê, por R$ 35 por pessoa. As delícias ficam disponíveis na mesa aos sábados e domingos a partir de 9h, e a comilança pode ir até as 15h. Entre as opções que sempre marcam presença estão torradas, ovos mexidos, biscoitos de polvilho fritos e, obviamente, as tortas e bolos que fizeram a fama da casa.

Vai lá
Rua Antônio de Albuquerque, 304, Savassi
(31) 98318-9932

Guaja

O brunch do Guaja costuma ficar lotado (Foto: Helena Lopes/Divulgação)


Mistura de café e coworking, fica em um casarão histórico na avenida Afonso Pena e é frequentado por jovens ligados à efervescente cena das startups de BH. O brunch é servido aos sábados, a partir das 10h. Um dos campeões de pedidos é o brooklyn (R$ 27), que leva panquecas com calda de mirtilo e xarope de bordo (o famoso maple syrup), ovos mexidos e bacon. Já o meat packing (R$ 29) conta com tostada de brioche, cheddar cremoso, bacon crocante, ovos mexidos, cebola caramelizada e salsicha tipo frankfurt. Para beber, um drinque como o mimosa, que leva suco de laranja e espumante, sai a R$ 16. Em tempo: vale a pena reservar, já que o lugar costuma ficar lotado para o brunch.

Vai lá
Avenida Afonso Pena, 2881, Funcionários
(31) 2127-1517

Soul Jazz Burger

Woopin' blues: mix de três torradas no Soul Jazz Burger (Foto: Divulgação)


A casa é comandada por Bárbara e Bruno Ivo, filhos do chef Ivo Faria (Vecchio Sogno), um dos mais premiados da cidade. O brunch da casa é preparado pela cozinha aos sábados e domingos, entre 10h e 15h. Uma das boas opções é o woopin' blues (R$ 24), um mix de três torradas. Uma delas leva salmão semi-defumado com sour cream, outra geleia de frutas vermelhas e brie e, a última, com molho de tomate rústico, salpicado de grana padano e brie. Já o na moral (R$ 25) conta com linguiça artesanal, ovos mexidos com parmesão, bacon e torradas.

Vai lá
Rua Noraldino de Lima, 387, Aeroporto
(31) 2528-3596

Sobre o autor

João Renato Faria é jornalista de Belo Horizonte, atualmente no jornal O Tempo, e com passagens por Portal Uai, Estado de Minas e revista Veja BH. Gosta de descobrir novidades gastronômicas pela cidade, de música pesada, de rock instrumental e novidades da cena independente. Tem a compulsão de comprar livros mais rápido do que consegue lê-los. Já pensou em se mudar de BH, mas por enquanto a cidade é o único lugar com um feijão-tropeiro decente.

Sobre o blog

A música e a gastronomia de Belo Horizonte são o foco do blog. Os posts abordam tendências sonoras, eventos, atividades de casas de shows e a movimentação da cena independente. Os textos também falam sobre as boas opções de comidas de rua, bares e lanchonetes, veteranas ou recém-inauguradas na cidade.