Blog do João Renato

Topo
Blog do João Renato

Blog do João Renato

Categorias

Histórico

Sapucaí se firma como corredor gastronômico de BH

João Renato

12/02/2019 21h37

Mureta da rua é concorrida graças ao visual (Foto: CURA/divulgação)

Um mirante para painéis gigantes de arte urbana. Um corredor gastronômico. Um ponto de encontro da boêmia. Parecem lugares diferentes, mas é um só: a rua Sapucaí, em Belo Horizonte. Um dos pontos mais efervescentes da cidade nos últimos anos, a via vem recebendo novos estabelecimentos e se firmando como destino para quem quer comer bem e se divertir.

A singular geografia da rua pode ajudar a explicar esse crescimento. Composta por apenas cinco quarteirões, ela tem uma mureta em um dos lados, com uma vista para o skyline do centro de Belo Horizonte. Foi de olho nesse visual que foi criado o Circuito Urbano de Arte (Cura), que coloriu diversas empenas de prédios. Do outro lado,as opções gastronômicas usam a própria mureta ou parklets como anexos, e aproveitam a vista como chamariz para a clientela. Confira abaixo quais as opções da Sapucaí:

Salumeria Central

Salumeria Central: a panturrilha de porco é campeã de pedidos (Foto: divulgação)


Aberta em 2012, a casa deu o pontapé para a revitalização da Sapucaí e, durante muito tempo, reinou sozinha na rua. O salão conta com elementos de vídeo-arte e iluminação intimista. O forte da cozinha são os cortes de porco. A porção batizada como Gran Porcaria leva uma seleção de cortes de salames, presuntos e outros embutidos, fatiados na hora. Outro campeão de pedidos é a panturrilha de porco ao forno, servida com batatinhas e legumes.

Vai lá
Rua Sapucaí, 527, Floresta
(31) 2552-0154

Dorsé

Dorsé: a bruschetta mineira tem massa de pão de queijo (Foto: divulgação)


Passou por uma reforma recente, que dobrou o seu tamanho, mas ainda manteve o ambiente simples e o jeitão que mistura bar e restaurante. Uma inusitada porção de coxinha de tapioca, recheada com queijo coalho e carne de sol e acompanhada de molho de rapadura com cachaça, limão e pimenta serve de cartão de visitas para as criações da cozinha, comandada pelo chef Elmo Barra e que usa e abusa das referências de todas as regiões do Estado. Outro exemplo é a bruschetta mineira, que leva massa de pão de queijo e pode ser acompanhada ragu de linguiça, pêra com gorgonzola ou pernil desfiado.

Vai lá
Rua Sapucaí, 271, Floresta
(31) 3327-8516

Botequim Sapucaí

Botequim Sapucaí: opções para petiscos como o fish and chips (Foto: divulgação)


Durante o almoço, a casa aposta em receitas que se revezam no cardápio. À noite, o clima é mais propício para petiscos, como o croquete de costelinha de porco desfiado ou o fish and chips, que é acompanhado de maionese vegana.

Vai lá
Rua Sapucaí, 523, Floresta
(31) 2516-8801

Panorama Pizzaria

Panorama Pizzaria: a pizza Floresta leva queijo muçarela, linguiça desconstruída com páprica, cebola roxa e flor de capucinha (Foto: Victor Schwaner/Divulgação)


A novata do pedaço abriu suas portas em janeiro e já vem chamando a atenção do público tanto por sua luneta, que permite apreciar a vista privilegiada da rua, quanto por suas receitas de pizzas com inspiração mineira. A Floresta – batizada com o nome do bairro que abriga a Sapucaí – une queijo muçarela, linguiça desconstruída com páprica, cebola roxa e flor de capucinha. Já a Municipal leva queijo da Serra da Canastra, crespo de bacon, conserva de jiló com pimenta rosa e tomatinho uva.

Vai lá
Rua Sapucaí, 533, Floresta
(31) 2510-5002

Sabático

Sabático: bar ocupa espaço que já foi da Benfeitoria (Foto: divulgação)


Ocupa o galpão onde funcionou a Benfeitoria, antiga referência da rua. Além do espaço interno, um parklet instalado na frente do espaço ajuda a fazer o diálogo com a Sapucaí. Na casa nova, se destacam receitas como a guacamole, feita com abacate orgânico, azeite mineiro e chipotle defumada, acompanhada de mandiopã de Itabirito. Para beber, a gin tônica com abacaxi e chá de hibisco é a pedida.

Vai lá
Rua Sapucaí, 153, Floresta
(31) 99494-8120

Sobre o autor

João Renato Faria é jornalista de Belo Horizonte, atualmente no jornal O Tempo, e com passagens por Portal Uai, Estado de Minas e revista Veja BH. Gosta de descobrir novidades gastronômicas pela cidade, de música pesada, de rock instrumental e novidades da cena independente. Tem a compulsão de comprar livros mais rápido do que consegue lê-los. Já pensou em se mudar de BH, mas por enquanto a cidade é o único lugar com um feijão-tropeiro decente.

Sobre o blog

A música e a gastronomia de Belo Horizonte são o foco do blog. Os posts abordam tendências sonoras, eventos, atividades de casas de shows e a movimentação da cena independente. Os textos também falam sobre as boas opções de comidas de rua, bares e lanchonetes, veteranas ou recém-inauguradas na cidade.