Blog do João Renato

Topo
Blog do João Renato

Blog do João Renato

Categorias

Histórico

Limão é a base de bons drinques em Belo Horizonte

João Renato

23/07/2019 22h55

Álcool e limão são uma combinação perfeita. A onipresente caipirinha – e sua irmã feita com vodca – estão aí para provar isso. Mas quem quer ir além do clássico da coquetelaria brasileira pode se esbaldar. A mistura entre bebida e a fruta cítrica é a base para diversos drinques que podem ser provados nos bares de Belo Horizonte. Confira:

Dub

Dub: o clássico negroni leva uma lasca de limão siciliano (Foto: divulgação)


Não é por acaso que, vira e mexe, o bar na varanda do histórico edifício Maletta é apontado como a melhor carta de drinques da cidade. É que, além da vista para o impressionante prédio gótico do Museu da Moda, o balcão mantém uma qualidade constante, com receitas criativas e bem executadas. O clássico negroni mistura gim, vermute e Campari, com uma lasca de casca de limão siciliano. Já o favorite leva gim, hortelã, ginger ale e limão.

Vai lá
Rua da Bahia, 1148, Centro – Edifício Maletta
(31) 3234-2405

Bombshell

Bombshell: campeão de pedidos, o demônio leva limão capeta, canela, cachaça e mel (Foto: divulgação)


O bar na Savassi tem mesas na calçada disputadas. O público que enche o espaço vai atrás de receitas campeãs de pedidos, como o demônio, uma caipirinha de limão capeta, cachaça, mel e canela. Já o bombshell spritz mistura carambola, limão siciliano, laranja, aperol, espumante e soda limonada.

Vai lá
Rua Sergipe, 1389, Savassi

MeetMe At The Yard

MeetMe: o loira do bonfim conta com rum, abacaxi e limão capeta (Foto: Divulgação)


Os drinques sempre foram um dos diferenciais da casa. Enquanto os outros bares da cidade ainda engatinhavam na questão, o MeetMe já investia em ingredientes diferentes e apresentações caprichadas, como as que usam a hoje popular mason jar. Homenagem à lenda urbana mais famosa da cidade, o loira do bonfim leva rum, abacaxi e limão capeta. Já o da vinci é feito com gim, absinto, limoncello e limão siciliano.

Vai lá
Rua Curitiba, 2578, Lourdes
(31) 98634-1383

Nimbos Bar
A casa ficou famosa por seus sanduíches, que vêm ganhando destaque na cidade. Apesar disso, a hamburgueria não perde o pique quando o assunto são os drinques. O cardápio passou por uma renovada recentemente e incluiu pedidas como o jambu treme, que leva cachaça com jambu, syrup de tangerina e suco de limão.

Vai lá
Rua Alagoas, 608, Savassi

Amadís

Amadís: com apresentação criativa, o malandro é o pato mistura gim, limão siciliano, licor de tangerina, soda e espuma de limão siciliano (foto: Divulgação)


Sempre criativa e bem humorada, a apresentação dos drinques é um dos destaques da casa na badalada avenida Fleming. Um dos clássicos é o malandro é o pato, servido em uma banheirinha e que combina gim, limão siciliano, licor de tangerina, soda e espuma de limão siciliano. Outro campeão de pedidos é o cubo mágico, que é servido em uma caneca que imita o desenho do clássico quebra-cabeças e leva gim, kiwi, uva verde, xarope de maçã verde, limão e espuma de limão siciliano.

Vai lá
Avenida Fleming, 480, bairro Ouro Preto
(31) 3309-3773

Sobre o autor

João Renato Faria é jornalista de Belo Horizonte, atualmente no jornal O Tempo, e com passagens por Portal Uai, Estado de Minas e revista Veja BH. Gosta de descobrir novidades gastronômicas pela cidade, de música pesada, de rock instrumental e novidades da cena independente. Tem a compulsão de comprar livros mais rápido do que consegue lê-los. Já pensou em se mudar de BH, mas por enquanto a cidade é o único lugar com um feijão-tropeiro decente.

Sobre o blog

A música e a gastronomia de Belo Horizonte são o foco do blog. Os posts abordam tendências sonoras, eventos, atividades de casas de shows e a movimentação da cena independente. Os textos também falam sobre as boas opções de comidas de rua, bares e lanchonetes, veteranas ou recém-inauguradas na cidade.